domingo, 6 de julho de 2014

GRUPO BOM JESUS FUNERÁRIA INAUGURA EM SANTA ISABEL UM DOS VELÓRIOS MAIS MODERNOS DA REGIÃO

O Agente Funerário Robson Silva, no escritório da Funerária Bom Jesus em Santa Isabel
     O Grupo Bom Jesus Funerária com sede própria em Santa Isabel (em frente à Santa Casa) e em Arujá (Funerária Pax Arujá, em frente ao Cemitério Municipal do Jardim Rincão) inaugurou há cerca de um mês, em Santa Isabel um dos mais modernos velórios da região do Alto Tietê. Pensando em um empreendimento a altura do cidadão isabelense e acreditando sempre no potencial do município, a Funerária Bom Jesus não poupou esforços para apresentar ao cliente, principalmente em uma hora tão difícil como o da perda de um ente querido, um velório moderno, confortável e aconchegante. 

Fachada da Funerária Bom Jesus em Santa Isabel
     São quatro espaços para velar o corpo, além de salas de espera com confortáveis poltronas e televisores. Além disso, a Funerária Bom Jesus disponibiliza banheiros para os deficientes físicos e uma cozinha para os familiares e amigos. A Funerária Bom Jesus, também disponibiliza um serviço personalizado da urna funerária, dos enfeites florais na urna, coroas de flores, e também presta serviço de translados (nacionais e internacionais). 

     Segundo o agente funerário Robson Silva, o Grupo Bom Jesus Funerária também tem um Plano de Assistência Familiar ao alcance de todas as famílias. Esse plano familiar engloba o titular e mais nove pessoas sem taxa de adesão, tanto para Santa Isabel como para Arujá. Robson Silva, disse ainda que o Grupo Bom Jesus Funerária tem funcionários altamente capacitados e experiência de 21 anos no ramo de funerária.  
Uma das salas de espera da Funerária Bom Jesus


AGENTE FUNERÁRIO EXPLICA COMO É PREPARADO O CORPO PARA O VELÓRIO 

     O Agente Funerário e Representante Comercial Robson Silva, 38 anos, morador de Santa Isabel, trabalha há 15 anos no ramo de funerária. Robson faz tudo nessa área, desde o primeiro atendimento aos familiares, até o preparação do corpo para o velório. O agente funerário salientou que para trabalhar nesse ramo, tem que gostar do que faz, e também tem que ter muito carinho e respeito pelo próximo.  

Uma das salas para velar o corpo
     Ele explica que antes de fazer a necromaquiagem (técnica de embelezamento do rosto do falecido para o velório) é realizado primeiramente uma higienização do corpo, ou seja, o cadáver é lavado, se for necessário. No caso dos homens, diz o Robson, o passo seguinte é fazer a barba do falecido. Depois, ele explica que através de produtos específicos se faz o embelezamento do rosto, tornando a fisionomia do morto mais bonita e agradável. Robson Silva, disse que outro procedimento obrigatório é o chamado tamponamento, que significa tampar alguns orifícios do falecido – normalmente nariz e boca –, para evitar vazamento de líquidos. 

Outra sala de velório
     O agente funerário relatou também que a última etapa é vestir o corpo com as roupas cedidas pela família. De acordo com o Robson, a parte seguinte, com o cadáver já na urna, é adornar o caixão com enfeites florais. Quando o falecido vai ser enterrado em outra cidade ou outro Estado da Federação, e a previsão é que o sepultamento vai demorar mais de 24 horas, é necessário, segundo o agente funerário, fazer a formalização do cadáver, ou embalsamamento, nesse segundo caso, técnica realizada em clínica especializada. 


      Robson explicou que a formalização consiste em retirar o sangue do corpo, e injetar no seu lugar, um líquido conhecido como formol. Ele explica que o procedimento é para que o corpo não comece a entrar em decomposição no período do velório e do enterro. Em ambos os casos, o laudo do trabalho empregado no corpo é fornecido aos familiares pelo próprio agente funerário. Depois disso, falou o Robson, o cadáver está pronto para o transladado até a cidade onde será sepultado.     



Nenhum comentário:

Postar um comentário